MUSEU DOCUMENTAL DIGITAL DE ARAÇATUBA: o projeto

O pressuposto da cidadania é a conexão do indivíduo com o seu local de vivência. Essa ligação entre cidadão e sua cidade só é possível quando existe uma memória sobre o passado, e sua presença no presente, por meio de documentos, objetos e locais da memória. Inicialmente o projeto visou a constituição de um acervo digital de documentos da história de Araçatuba, com a possibilidade de ser ampliado por pesquisas futuras, que vão desde 1914 até a década de 1970. Tem como objetivo a pesquisa, classificação, organização em arquivos diferentes documentos cujo suporte, inicialmente, é o papel e sua publicação on line. Entendemos que a digitalização dos documentos é a melhor forma de dar publicidade à história e ainda possibilitar e facilitar o acesso ao acervo por pesquisadores aos arquivos impressos. Visa também a preservação de documentos que, devido à sua antiguidade e má conservação, poderão desaparecer e, juntamente com eles, parte da memória histórica de Araçatuba.

O conjunto de documentos foi selecionado e conservado pela historiadora Angela Inês Liberatti, de uma pilha de papéis, queimados por um incêndio ocorrido no Arquivo Público de Araçatuba e que seriam jogados fora. Dessa seleção, onde é visível as marcas do incêndio e da ação da água utilizada para apagar o fogo como o amarelado do papel pela exposição excessiva ao calor ou com as bordas queimadas restaram os documentos que ora voltarão ao acervo público de forma digital.


Equipe responsável: 
Criação e Curadoria:
    Angela Inês Liberatti

Comunicação:
    Michele Amorim Crepaldi

Tecnologia:
    Eduardo Faria
    Ricardo de Souza Stefanone

Pesquisadores:
    Kaíque Rodrigues Brandão
    Leonardo Melin Soares